Nova publicação destaca a importância das áreas protegidas para a conservação de tamanduás- bandeira!

Qual é o paradeiro do tamanduá-bandeira nas paisagens dominadas por cana-de-açúcar no sudeste
do Brasil? Essa foi a questão central que sustentou um projeto que Adriano Chiarello, membro do
nosso Grupo de Especialistas, coordenou anos atrás e fundamentou a tese de sua, então,
doutoranda Natalia Versiani, entre outras iniciativas ainda em andamento em seu laboratório de
pesquisa. Os principais resultados do projeto mostram que, surpreendentemente, a espécie ainda
ocupa 50% dessas paisagens, o que pode ser uma boa ou uma má notícia, dependendo se olharmos
para o copo meio cheio ou meio vazio… Os resultados também revelaram que este animal ocorre
nas áreas que concentram vegetação nativa, incluindo áreas de preservação permanente e reservas
legais. Vida longa e próspera ao Código Florestal Brasileiro, que protege essas áreas de vegetação
nativa dentro das propriedades rurais privadas.
Por fim, também revelaram que o tamanduá-bandeira faz uso mais intensivo de estradas de terra,
talvez na tentativa de minimizar as perdas energéticas que teriam ao cruzar as paisagens
modificadas pelo homem. Inclusive, as margens dessas estradas podem se apresentar como
oportunidades de área de forrageamento. Mas, como esse uso diferencial pode expor os animais aos
perigos das estradas, o estudo destaca a necessidade de mais atenção a essas estruturas. Aproveite
a leitura!

N.F. Versiani et al. (2021): Protected areas and unpaved roads mediate habitat use
of the giant anteater in anthropogenic landscapes. Journal
of Mammalogy, gyab004.

Nova edição da Edentata!

Caros amigos e colegas,

Temos o prazer de anunciar mais um número da Edentata! Convidamos você a baixá-lo gratuitamente no site de nossa revista Edentata.

A Edentata 21 inclui seis artigos e uma seção de notícias repleta de anúncios interessantes.

Nesta edição, você encontrará uma revisão muito completa sobre os xenartrós de Honduras, uma descrição dos primeiros registros de armadilhas fotográficas de tamanduás-bandeiras no Parque Nacional Baritú, na Argentina, e um relatório sobre carrapatos de tatus no Piauí, Brasil. Há também duas contribuições sobre tatus-canastras e sua relação com abelhas. Um deles descreve o ataque de Priodontes maximus a uma colônia e o seu consumo de abelhas sem ferrão, enquanto o outro explora formas de reduzir o conflito entre apicultores e tatus-canastras. E não perca a nota de campo sobre o Sloth Bot, um robô fofo de monitoramento ambiental!

Também incluímos as normas atualizadas para autores em inglês, espanhol e português para ajudá-lo a preparar seus manuscritos para à Edentata. Estamos ansiosos em receber seus manuscritos!

Os melhores desejos e muito obrigado a todos os autores e revisores!

A equipe editorial da Edentata

Data limite para submissão de manuscritos a Edentata!

A data limite para submissão de manuscritos para a edição desde ano de Edentata, a revista do Grupo de Especialistas em Tamanduás, Preguiças e Tatus da IUCN/SSC, está próxima!

Por favor, enviem seus artigos, comunicações breves e notas de campo até o dia 15 de Agosto para edentata@xenarthrans.org. Certifiquem-se também de seguir as instruções aos autores, disponíveis no site da Edentata, a fim de evitar atrasos no processo de revisão.

Esperamos por seus manuscritos!