Preguiça anã

 (Bradypus pygmaeus)

Outros nomes comuns

Preguiça-pigmeu

Taxonomia

Ordem: Pilosa
Família: Bradypodidae

Descrição

Esta é a menor das preguiças, medindo cerca de 50 cm e pesando entre 2,5 e 3,5 kg. Tem pelos longos e grossos de coloração cinza, cobertos de algas, fazendo com que o pelo pareça ser verde. As preguiças-anã têm um rosto marrom claro com uma faixa escura ao redor dos olhos. Os machos têm um espéculo dorsal de pelos mais curtos, de coloração creme a alaranjado. Como todas as preguiças do gênero Bradypus, esta espécie possui três unhas grandes em cada mão.

dieta

Sua dieta não é bem conhecida. Foi observado o consumo de folhas de manguezais e outras espécies, como árvores do gênero Cecropia.

Distribuição

A preguiça-anã é conhecida apenas na Ilha Escudo de Veraguas, no arquipélago de Bocas del Toro, Panamá. Essa ilha tem uma área de aproximadamente 4,3 km² e fica a cerca de 17,6 km do continente panamenho.

Tendência populacional

Declinando.

Fatos curiosos

Sua pelagem apresenta cor esverdeada devido à presença de algas simbióticas, o que permite que as preguiças-anã passem despercebidas entre a vegetação.

Reprodução

Não há informação sobre o ciclo ou a estratégia reprodutiva da preguiça-anã.

Ameaças

Embora a única ilha de sua ocorrência seja desabitada, há visitantes sazonais (pescadores, camponeses, mergulhadores  de lagosta, turistas e população local) que colhem madeira para manter casas na ilha. Estudos preliminares sugerem um nível reduzido de diversidade genética para as preguiças-anã, em comparação com sua suposta população de origem, as  preguiças do Panamá continental. Isso é esperado, considerando o histórico de diversificação e isolamento de espécies em ilhas. No entanto, também foram detectados sinais de gargalo populacional recente. Esses resultados destacam a necessidade de uma avaliação contínua do status e das tendências da população e estudos adicionais, considerando um possível cenário de depressão endogâmica, se o tamanho da população (já baixo) diminuir ainda mais.

Apesar de ter sido designado como paisagem protegida por meio de uma resolução governamental em 2009, vários esforços nacionais e internacionais foram realizados para desenvolver a infra-estrutura turística na ilha. Isso inclui planos para uma pousada ecológica, um cassino, uma marina e um centro bancário. O status atual da custódia da ilha é vago; uma resolução governamental e, portanto, o status de proteção da ilha, não podem ser revogados, mas nenhum funcionário do governo foi nomeado especificamente para reforçar a proteção da ilha. As divergências entre os nativos Ngäbe bugle, políticos e o governo panamenho complicam ainda mais a proteção de longo desta importante ilha para as preguiças-anã. Além disso, como as preguiças-anã se tornaram mais amplamente reconhecidas internacionalmente, há um interesse crescente em coletar espécimes para o cativeiro.

Habitat e Ecologia

Essa espécie é encontrada tanto nos manguezais quanto no interior da Ilha Escudo. Embora anteriormente se pensasse habitar exclusivamente os manguezais vermelhos da ilha, estudos recentes de rastreamento descobriram as preguiças no interior da ilha, na densa floresta tropical. Devido à dificuldade de censo, sua densidade e abundância nas florestas densas são desconhecidas. As preguiças-anã são principalmente arborícolas, mas também podem nadar e se mover lentamente no chão.

Estado de conservação

A preguiça-anã é categorizada como Criticamente Ameaçada, pois esta tem uma área de distribuição muito restrita, sendo encontrada apenas em uma ilha de menos de 5 km², e provavelmente há um declínio contínuo na qualidade do habitat e na área de ocupação devido à degradação ambiental. A espécie está listada no Apêndice II da CITES.